Últimas Notícias do Mundo Acadêmico:

Manifestação de professores prejudica trânsito na Paulista

4/7/2006 

da Folha Online

A manifestação dos professores da rede municipal de ensino de São Paulo prejudica o trânsito na avenida Paulista na tarde desta sexta-feira. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) recomenda que os motoristas evitem a região.

A manifestação começou às 14h. Segundo a Polícia Militar, 4.000 pessoas participam do protesto. Os manifestantes se reuniram no vão livre do Masp e devem seguir até a sede da Secretaria de Gestão, na rua Líbero Badaró, no centro.

Os reflexos da manifestação no trânsito vão do Masp até a praça Oswaldo Cruz, no sentido Consolação, e do acesso à avenida Rebouças até o Masp no sentido contrário.

Paralisação

Em nota, o Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo) afirma que a paralisação ocorre porque a prefeitura "se recusa a atender às reivindicações econômicas, funcionais e de alteração das diretrizes educacionais implantadas na rede".

A categoria reivindica, entre outros pontos, salário inicial de R$ 960 para todos os profissionais de educação --atualmente um docente com ensino superior e jornada de 20 horas semanais ganha R$ 615--, fim das privatizações e terceirizações e redução do número de alunos por sala de aula.

A Secretaria de Gestão propôs o pagamento em julho de R$ 350, referente à gratificação por desenvolvimento educacional.

Nesta sexta, a secretaria informou que a proposta demonstra que a administração municipal "continuará fazendo todos os esforços para valorizar os salários e condições de trabalho dos servidores, porém sempre no limite da realidade das finanças municipais, em respeito aos cidadãos paulistanos que exigem uma prefeitura responsável no uso dos recursos públicos e que garanta a qualidade dos serviços prestados".

"A Secretaria Municipal de Gestão conclama os professores e demais integrantes do Quadro do Magistério a garantirem o funcionamento normal e regular da rede municipal de ensino, que atende mais de um milhão de alunos", diz, em comunicado.

Adesão

A estimativa do Sinpeem é que ao menos 75% das 1.292 escolas da rede municipal estão total ou parcialmente paradas.

A greve dos professores e funcionários das escolas municipais, que já dura dez dias, é a mais longa da rede desde 1987, de acordo com levantamento do sindicato.

Em 1987, a greve durou 17 dias. A Secretaria da Educação afirmou que não possui tal contabilização, conforme reportagem publicada na edição desta sexta-feira da Folha de S.Paulo.

Voltar


 
replica watches ukrolex replica salefake watchesrolex replica ukfake rolex salereplica watches
Pagina ptrotegida contra cópia por Copyscape